Travessia.

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".
 (Fernando Teixeira de Andrade)

--- x ---

Em meu primeiro texto, Descortinar, falo de atravessar a cortina que nos esconde o que temos além disso aqui. De redescobrimo-nos. Sou formado em Marketing, por birra, e atuante ativo - ainda - desse mercado de trabalho. Mas após algum tempo de desconfortos, frustrações e necessariamente com a ficha caída de que não é nesta área que quero envelhecer e/ou passar mais tempo, descortinei a Psicologia. 

Diversas foram as áreas que pesquisei antes de decidir pelo Estudo da Alma (tradução literal do termo psico-logia), como falei no post Zona de Conforto. Aqui eu quero falar da travessia, em si. Sim. Com o aviso prévio oficialmente declarado, deixo a empresa onde trabalho daqui a exatamente 24 dias. Um novo salto. Sem entrar em detalhes sobre a experiência que passei na empresa em questão, e apesar de minha saída ser motivada por um convite de sociedade que me deixará mais confortável, sinto que é um tempo de travessia, quando dei um passo mais importante sobre meu futuro, sobre minha decisão. 

Quando falo de decisão, não falo só sobre a nova graduação. Falo sobre minha decisão de abandonar essas roupas usadas, esquecer aos poucos alguns dos caminhos que sempre me levam aos mesmos lugares, e preparar uma nova estrada rumo ao novo. Essa nova experiência, por exemplo, me dá novos insumos e desafios a serem trabalhos, além de criar um ambiente favorável para o estudo dessa nova ciência. Já dei processo processo de entrada na Universidade de Fortaleza como candidato graduado ao curso de Psicologia, e tudo deu certo. Agora é só esperar findas os 29 dias de aviso prévio para findar um ciclo, junto com a Copa, e recomeçar em julho em uma nova etapa profissional junto ao período de escolha de cadeiras. 


Já namoro com a grade de cadeiras faz alguns meses, e isso me deixa cada vez mais empolgado. São tempos de Travessias e Agradecimentos.