Desconexos Club #1: Entre Amigos Bar e Restaurante


Hi, timeline...

Para iniciar as atividades gostosas deste caderno, o #DesconexosClub foi ao “Entre Amigos Bar e Restaurante”,  localizado na rua Prof. Dias da Rocha, nº 811. 



O estabelecimento agrada logo por sua fachada com ares de “boteco-carioca” e por sua estrutura porreta, dividida em dois ambientes: espaço bar ao ar livre e salão climatizado - durante o dia o estabelecimento volta suas atividades apenas ao salão climatizado.
 
Para ‘começar os trabalhos’, pedi o chopp Heinecken (R$ 4,90), que estava no ponto: gelado e com colarinho na medida. Como complemento do momento ‘beber e petiscar’, atacamos de uma porção de “Bolinho Entre Amigos” (06 unidades R$14,20) e outra de “Pastelzinhos de carne com azeitona” (06 unidades 13,90). As duas porções chegaram sem demora, na temperatura bacana (nada de petisco frio, por favor!)  e foram aprovados pelo povo tequileiro daqui.  O bolinho, feito com massa de abóbora e recheado com carne seca e mussarela, é muito bom e merece duplamente o selo ‘bom do papoco’. O pastelzinho, pra quem gosta muito de azeitona como eu, também é gostoso – um adendo é que ele merecia ter vindo mais seco, mas nada que prejudicasse o sabor do indivíduo.

Outras opções eram: “Filé mignon trinchado ao molho gorgonzola" servido com torradas (27,90) - provado e aprovado em visita anterior; Caldo de feijão preto (individual R$ 8,50); Coxinha de caranguejo (04 unidades R$18,40), dentre outras.

O cardápio ainda atende a sua outra função de restaurante, contendo diversas opções de pratos à la carte, pizzas e churrascos – em breve a parte II. Não é barato, mas justo e é reformulado pelo menos uma vez ao ano, denominado tipo como as coleções que “as minas pira” (Primavera/Verão ou Outono/Inverno).
Já no cardápio de bebidas, testei também o teor de álcool (tarefa difícil) dos drinks e cia, pedindo uma caipifruta de vodca e abacaxi (R$ 11,50)  e uma saqueroska também com abacaxi (todas batidas com a fruta, amém!). A de vodka importada (pode ser nacional) estava gostosa e sem aquele mundarel de açúcar e gelo comuns em muitos botecos. A de saquê em igual medida e com a qualidade do saquê aprovada.  As sobremesas são assinadas pela Sucré (não preciso falar mais nada) e aqui vai a dica do delícia “Gelado Sucré” (taça 14,90) – peçam depois das tequilas que vai muito bem.


 A programação também é diversificada, vai da transmissão de jogos as quartas, passando pela quinta do caranguejo e atrações de pop, rock, samba, soul nos finais de semana...na ocasião curtimos o bom repertório do "Mano Brás".

Por fim o atendimento também é um diferencial da marca “Entre Amigos”, valendo ressaltar a cordialidade e atenção da galera que estava lá para garantir os nossos “bons drink”.  Cláudio e Adriano, valeu rapaziada!
Bem, é isso pessoas, resumindo o “Entre Amigos” agradou e merece o selo “recomendação prozamigo”.  A baixo segue nosso humilde quadro de avaliação, a base dos copos de tequilas (só na proxima edição), para os quesitos experimentados e até a próxima quinzena!

    
Índice de avaliação tequileira
( 5 )Mermão, é bom oh! 
( 4 )Bonzinho de bom
( 3 )Deu pro gasto
( 2 )Marromeno
( 1 ) Fraco.

-
      
Geral: ( 4 )
Estrutura: ( 5 )
Cardápio: ( 5 )    
Atendimento: ( 4 )  
Bolinho entre amigos:  ( 5 )  
Pastelzinho de carne com azeitona: ( 4 )    
Filé trinchado ao molho gorgonzola: ( 4 ) 
Chopp: ( 4 )    
Caipifruta:  ( 3 )
Caipisaquê: ( 4 )    


Serviço:
Entre Amigos Bar e restaurante
  Rua Prof. Dias da Rocha, 811, Aldeota (entre as ruas: Marcos Macedo e Maria Tomásia)
  (85) 3224.9644
  Horário de funcionamento: segunda de 11h às 15h e de terça a domingo de 08h às 15h e das 18h a 01h
  Faixa de Preço ( de R$ 8,90 a R$ 55,10)
  Carta de vinhos
  Aceita cartões (crédito e débito): Visa, Mastercard
  Aceita Reservas
  Wi-Fi
  www.facebook.com/RestauranteEntreAmigos



 

Novidades no Tabloide Infame!

Personas, temos muito que conversar nos próximos dias!

O Tabloide Infame passa a ser TabloideInfame.com, um detalhe que marca uma série de novas e boas mudanças para esse veiculo tendencioso. Sim. Prometo faz tempo, eu sei, mas agora é chegada a hora derradeira das mudanças!


Temporariamente minha fotchênha linda que ficava ali do lado está fora da grade do nosso tabloide. Isso porque não serei mais o único editor desta bodega literária, rá! Entãooo, contarei com fortes e igualmente prolixos amigos para fazer deste canal uma coisa mais, digamos, assídua. Logo (mas não tão logo assim) teremos de volta aquela coluna com as faces de todos eles. Pois é.

Os cadernos mudarão, esses que temos ali do lado. Serão repaginados e reclassificados em novos cadernos, e outros novos surgirão. Alguns, que tinham a promessa de serem semanais, quinzenais, mensais, podem sofrer mudanças do tipo "realmente serem semanais, quinzenais, mensais" (rsrs), mas outras mudanças de ordem programada também podem acontecer. Então fiquem atentos, avisaremos.

Já hoje, apresento-lhes o novo contribuinte que se junta à equipe iconoclasta deste site: Di Micqueli (@Odival_Micqueli) assinará a nova coluna #DesconexosClub, e promete ser o terror ou o amorzinho de alguns estabelecimentos de grande movimentação aqui em Fortaleza. QUIÇÁ de outros estados, né?


Ele vai trazer quinzenalmente (né, ODIVAL!?) um parecer desses lugares que visitará com sua trupe, prometendo aspectos detalhados sobre o ambiente, produtos e serviço, público, valores e etecéteras. Como eu sei que ele ADORA barzinhos, restaurantes, botecos e coisas do gênero, podemos dizer que esse caderno terá um viés mais gourmet mesmo, beirando ao social também - depende da quantidade de doses de Tequila que ele tomar!

Amigo de longas datas, conheço esse rapaz e confio por demais no trabalho dele. Empreendedor, extremamente detalhista em tudo que se envolve, tenho certeza que será um sucesso como blogueiro também.

Deixo-os, agora, com algumas palavras do moço:

-

Oi Pessoas!

A partir do dia 07 de setembro, o novo colaborador infame aqui – desde que não perca meu bloco de notas ou exagere nas doses de tequila –  contribuirá para o seu fim de semana do papoco (ou nem tanto), repassando dicas de locais e eventos experimentados com minha turma ‘desconexa’. Isso claro, com o tom leve e infame de costume e a seriedade de quase sempre!


Assino a coluna com “Di Micqueli” (codinome dado por um colega de trabalho que não acertava o originalis), mas por aí também utilizo o quase oficial “Odival Micqueli”. Tenho 30 anos, sou paranaense com a criação e o coração cearenses, profissional de marketing, ex-gestor de atendimento e logística e atualmente com o lado empreendedor de idéias voltado ao mercado de entretenimento. Tuiteiro que não curte muito o Facebook (foi mal Mark!), metido a designer, chef da minha cozinha nas horas vagas, apaixonado por música, pela patota familiar, banda desconexa e ex-viciado em Coca-Cola.


Agradeço pelo convite bacana do meu amigo e editor Adriano Mariano, centauriano, e aguardo comentários e sugestões de vosmicês!!!


Abraço e inté já!
 

O Poder do Oxigênio ATIVO.



MAS GENTE


Pera. Ok. Vanish. Vou falar sobre a nova campanha publicitária dessa empresa que trabalha com produtos de limpeza. Aquela mesma que fala "Confie no Rosa". Então. Pois é... estão, né (oi?), com uma nova campanha: "Sim, Senhora", como intitularam, é o novo "mote" da marca, direcionado para mulheres que (...) que não têm medo de um tanquinho.


Quando você se concentra na comunicação da campanha, tipo, de verdade, você pensa: (...)



kkkkkkkkkkkkkkkk... Ok, foco!

Percebam como a forma de se comunicar com o público alvo, mulheres donas de casa, mudou. Quem, meu deus, teve essa ideia está de parabéns! Primeiro pela ousadia: num pais tão machista quanto o Brasil, marcas bem posicionadas estão apostando em uma comunicação certeira para o público feminino que, de fato, é o maior frente a TV e em muitos outros veículos de comunicação também. Isso porque são ELAS que se informam mais e, inevitavelmente neste caso, são ELAS também que, na maioria, cuidam da casa e precisam conhecer (leia-se ser alvo) desses produtos. 

Então, porque investir na mesma comunicação de sempre? Estratégia, esta, defasada por anos de mesmice, e em que todos os seus concorrentes também investem? Era sempre a dona de casa que acaba falando com uma projeção dela mesma, mostrando um diálogo entre ela "bunita", usuária do produto, indicando-o para a 'outra ela', cansada, acabada, descabelada e com algum filtro que a deixa mais cinza.

Veja (ou reveja, se for o caso) a sátira feita pelo programa Comédia MTV a este formato antigo de propaganda para produtos de limpeza:


Em uma época onde produtos e serviços são tão parecidos, e cada dia que passa mais concorrentes ganham frente ao seu mercado, o diferencial, agora, serão as ideias. A originalidade. E com a presença das redes sociais na lista de investimentos cada vez mais seguros das empresas, o "engajamento" torna-se um ritual sagrado para se manter um público atraído pela marca. Sem engajamento, empatia, quem será fiel a vocês, posto que provavelmente muitos outros concorrentes de sua marca podem servir facilmente de opção/substituição?

E quem pode dizer que essa campanha não conseguiu o... engajamento... de muitas(os)!? Heim!?
Dê uma olhada nos videos que soltaram no YouTube:


Vou te Conquistar com Meu Amor é o título de um dos VTs que criaram para esta campanha viralizar-se pelo canal do youtube, e ADENTRAR nas demais redes sociais. Bem sugestivo, o título, não? E o que você acha desses outros:


"O chão que toda mulher merece pisar",
"As preliminares são importantes pra mim",
"Só se preocupe em escolher a roupa que eu vou tirar",


Um vídeo para cada produto principal, um tanquinho para todos os gostos. Pode-se haver a discussão sobre "conteúdo apelativo", sim, mas em outro tópico. Primeiro, acesse o canal do YouTube da Campanha Vanish Sim Senhora e veja todos! kkkk...

-

Obs.: Um agradecimento especial ao meu amigo Jardel Brunno
quem me informou sobre os vídeos. kkkkk...
 

O Paradoxo da Espera do Ônibus

Gostam de curtas? Pois bem.


Navegando pelo YouTube, achei esse curta-metragem super bacana de um homem que espera em vão seu ônibus chegar. Mas será que era em vão mesmo? Ora, se o ônibus está demorando, então ele está mais perto de chegar! Não? Baseado em várias histórias reais. 


Desenho desanimado de Christian Caselli.
Desenhos de Gabriel Renner e narração de Chico Serra.
 

Frase do Dia.



 

Classificados Infames!

Olá, personas!

Que o Tabloide Infame está sendo todo repensado, isso eu já falei por aqui. As seções se adaptarão, e um trabalho mais elaborado de SEO será inserido em sua rotina. Preciso aplicar meus conhecimentos recém conquistados o mais rápido possível! 

Uma das novidades que já posso apresentar é a nova seção Classificados Infames! Sim, posto que existe uma demanda latente para esse quadro, venho trazendo novos tipos de informações para estas páginas digitais do nosso tabloide.

Nos Classificados Infames, que será veiculado às segundas-feiras, não em todas, poderemos achar de tudo um pouco: desde Jobs, Vagas e propostas de Emprego (vou segmentar ao máximo para focar nas áreas de Jornalismo, Marketing e Publicidade & Propaganda), Achados & Perdidos (kkkk... ok, mas será com uma conotação bem aplicável a este veículo!), Ofertas Infames e tudo que se pode encontrar em um classificado padrão, mas com uma pitada irreverente.

As informações que serão trazidas para este quadro serão informações retiradas de fontes seguras (principalmente quando se tratarem de oportunidade de negócios e empregos), conhecidas pelos meios de comunicação usuais, como jornais impressos, grupos de emails, etc, ou em contato direto através deste blog. Sim, pois se está querendo anunciar, é só entrar em contato conosco. Não precisa pagar nada, heim! rsrsrs. #NãoPorEnquanto. Tudo para melhor atendê-lo, caros leitores infames.

Vamos ao que temos hoje?



OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS.
#Empregos.

  1. #1 Assistente de Marketing, para a empresa Construtora Manhattan.
Horário: 8:00h as 18:00h (Segunda a sexta).
Eventualmente irá trabalhar nos finais de semana.

Salário: R$ 1.200,00
Benefícios: Vale-transporte + Vale-alimentação (R$ 9,00)

Escolaridade: Curso concluído ou em andamento de JORNALISMO.

Requisitos:

- Desejável experiência no setor imobiliário;
- Imprescindível domínio em corel e photoshop;
- Conhecimento em Excel, Word, Power Point.

Enviar currículo para rhgrupopibb@yahoo.com.br colocando no assunto: "Assistente de Marketing".
Obs.: A empresa pede que, por gentileza, colem o currículo no corpo do e-mail.

~x~


  1. #2 Designer Gráfico, para a empresa Editora Vestseller.
Horário: 8:00h as 18:00h (Segunda a sexta).
Eventualmente irá trabalhar nos finais de semana.

Salário: R$ 800,00
Benefícios: Vale-transporte, Vale-alimentação.

Requisitos:

- Domínio em Word e Corel Draw.

Enviar currículo para adm@vestseller.com.br.

~x~


  1. #3 Gerente Comercial, para a empresa Microlins.
Quantidade de Vagas: 03.
Benefícios: Salário a combinar, VT., VR., Plano de carreira, Treinamento e capacitação na área, Descontos em cursos.
Requisitos:

- Ensino superior em andamento ou concluído nas áreas de Administração, Marketing, Gestão comercial ou afim.
- Gestão de pessoas.
- Experiência comprovada.
- Conhecimento no pacote Office.
- Ser comunicativo, líder, pró-ativo, dinâmico e ter iniciativa.
- Excelência no atendimento ao público.
- Ambição.
- Foco em resultados (Metas de vendas).
- Saber trabalhar sob pressão.
- Disponibilidade imediata.


Enviar currículo para  fortaleza-montese-enc@microlins.com.br colocando no assunto "Gerente Comercial". 


 

Feliz Dia dos Pais!


 

AMOR, Amarello.


A revista Amarello produziu um teaser para uma de suas edições que, simplesmente, fala de coisas que todos nós precisamos saber sobre o amor. O resto são bobagens, meninos. Bobagens.




O que existe além do que ja foi dito sobre o amor?
Toda minha vida pautada em amores que tive ou gostaria de ter.
Falando sobre os que tive, também não tenho muito que dizer.
Amei e fui muito bem amada.
Mas foi um amor, um único amor, 
que veio cruzou minha vida, tocou minha alma e ficou marcado em minha pele.
Todos nos carregamos com nós uma história.

Aquela que só nos atrevemos a lembrar, quando durante a noite no escuro, 
encostamos nossas cabeças no travesseiro e o silêncio cala fundo.

Não importam os anos, 
certas coisas simplesmente permanecem.

Mas então, numa quinta-feira a tarde de um ano qualquer, 
tropeçamos nesse amor já supostamente esquecido.
Percebemos que amor igual não há e que aquela pessoa continua 
e continuará a ser nossa referência afetiva mais sincera e profunda.

Não é doença nem obsessão. Aliás não é nada, só amor. Amor dos bons, daqueles que são únicos e maravilhosos, que acontecem poucas vezes na vida das pessoas. Daqueles amores que ficam e que teremos que conviver com ele como algo concreto e parte de nossas vidas.

Que alma consegue atravessar a vida sem ter conhecido o amor e, 
quem sabe, ter a sorte de ser correspondido?
Que vida vale a pena sem amor?
Nenhum sentimento é mais lindo profundo e transformador que o amor.

Só amor transcende e purifica, enlouquece e cura, invade, permanece, liberta e aprisiona.
Quando acontece é um som grave que penetra invade e permanece.

Não compliquem e nem elaborem o sentimento mais incrível e poderoso de todos.
Permitam que eles cheguem e se instale.
Porque o resto são bobagens meninos, 
bobagens.





Ficha técnica:
Direção: João Simi
Atriz: Carolina Ferraz
Texto e Locução: Carolina Ferraz
Roteiro: João Simi e Tomas Biagi Carvalho
Montagem: Beto Araújo
Direção de Fotografia: Rafael Levy
Assistente de Fotografia: Bruno Vieira
Trilha Sonora Original: Sonido
Produção: Marina Ferriani
Direção de Arte: Tomas Biagi Carvalho
Styling: Helena Sicupira
Revelação e Telecine: Casablanca
Colorista: Samantha
Pós Produção: Dínamo Filmes
Produção Dínamo: Carol Pessini
Coordenação de Finalização: Tutu Mesquita e Lívia Piassa
Agradecimentos: Alex Amati / Silvia Jabali / Carolina Krieger

 

Só uma coisa a dizer sobre Chernobyl Diaries.

Nada.
 

Novo iPad: Nova Aquisição.


Gentes, 
Sabe criança quando ganha brinquedo novo? Pois é. 


Minha mais nova aquisição, um iPad 3 (oficialmente chamado de Novo iPad), me causou horas de insegurança na hora de comprá-lo. Isso porque sempre faço uma pesquisa rápida (só que demorada) na internet sobre, principalmente, produtos eletrônicos antes da compra, e tratando-se de um equipamento nada barato como este, não poderia ser diferente.  Logo vi diversos prós e contras para esta aquisição. Tive que ponderar todos. Isso. Todos. Então resolvi dividir minha experiência pessoal, com base nesta pesquisa informal feita por um consumidor final sem grandes conhecimentos da área, mas muito cauteloso na hora de gastar significativamente (mentira).

(...) Mas antes, olha que lindo o vídeo promocional da Apple para o Novo iPad. Só por ele, quase esqueci a pesquisa e comprava por impulso...


Pois bem. Comecemos pelos fatos: se você já tem um Ipad 2 e não necessita ter uma ferramenta tão potente com relação aos gráficos apresentados, só usa para acessar internet, e-mail, redes sociais, etc, então contente-se. A grande vantagem do Novo iPad, comparando-se com seu modelo antecessor, é a solução de gráficos. É realmente muito bom, mas não muda muito nossa rotina só por isso. Como vou utilizá-lo mostrando imagens gráficas a clientes, discutindo identidades visuais em projetos publicitários, optei por este modelo. O modelo 02 também serviria! Mas optei pelo capricho. Sem contar que uma amiga trouxe este dos Estados Unidos, BEM mais barato do que comprar em nossas lojas brasileiras. Economizei por volta de 50% nesta aquisição. Rá! Saiu mais barato, pra mim, do que comprar o iPad 2 nas lojas daqui. Aí fica fáceo!


Além do potencial gráfico citado, outros pontos positivos a serem considerados no novo modelo: sutilmente mais rápido em termos de carregamento de página, dizem. Bom, dizem que tem um processador melhor, etc, mas em termos de experiência real, gente, é insignificante esta consideração se estivermos falando de práticas simples neste equipamento. É um pouco mais rápido, é. Milésimos de segundos, ponto. Agora, em termos de câmera, temos um ganho exuberante na qualidade das fotos e vídeos captados pelo iPad 3. Fato. Mas volto a dizer: quer ter excelentes fotos? Compre uma câmera digital. Celulares, Tablets, notebooks e afins são equipamentos que têm como finalidade o uso de outros tipos de recursos.

Dizem que o novo modelo esquenta mais. Poupe-me, não se preocupe com isso! Seu celular deve esquentar mais colado aos seus ouvidos depois de horas de conversa. Tenha vida social. Real life. Se esquentou, lembre-se: dê um tempo nisso tudo. A vida é lá fora, gente. #aff.

Se você tem dúvidas em adquirir um modelo só com wi-fi ou com o 3G/4G também, aqui vão minhas considerações: Bom, eu optei pelo modelo só wi-fi. Tenho um iPhone 4, é fácil sincronizar o pacote de dados com o iPad e não me incomodo com a velocidade atual de carregamento da página pela plataforma 3G. Até porque, aqui no Brasil, ainda não temos acesso à tecnologia 4G, e não há uma previsão tão nítida de quando chegará por estas bandas. Quando houver, quem sabe seja hora de adquirir um iPhone 4S? Daí poderei compartilhar da tecnologia do novo iPhone com o iPad. De qualquer forma, o iPad 3 wi-fi já me serve perfeitamente.

Em termos gerais, os produtos da Apple são excelentes. O terceiro modelo do iPad, pra mim, foi uma extraordinária aquisição: comprei mais barato do que poderia tê-lo feito em lojas nacionais, é um produto superior ao modelo anterior, mesmo que sutilmente, e não precisarei fazer um upgrade tão cedo nele.

Se você já tem um iPad 2, sossegue. Se não tem e estiver na dúvida entre comprar o segundo modelo ou o novo, pondere os custos/benefícios e adquira o modelo que mais se adéqua as suas necessidades rotineiras.

Beijo, 
e me liga.
 

#BarbaDay

Olá, personas!

Olha eu por aqui de novo, depois de um tempo de hibernação. São 18 horas do domingo 29 de julho, estou quase entrando em uma reunião com o grupo de estudos quando, no twitter, vejo a hashtag  #BarbaDay. UAU! Bem na semana do  #LingerieDay2012, evento do qual tirei muito sarro, aparece-me esta nova invenção!

Quem me conhece sabe que minha barba leva muito da minha personalidade! Nossa, não seria esse Adriano que vos fala sem ela. Seria outro Adriano. Não este. Então, aqui vai minha contribuição para este dia tão peculiar. 

Zoom. Smack.

Ensaio fotográfico à la Tim Burton.

ME SERVE, VADIA!

Todos temos aquela foto-banheirão básica.

A foto mais indexada que tenho na internet, gente...

Engraçado quando paramos pra pensar na mudança do nosso senso crítico sobre a estética do homem (e da mulher também) no decorrer dos anos. Percebemos que há, hoje, uma valorização do que é mais natural. Nada muito arrumadinho, nada muito certinho demais. As roupas seguiram uma tendência, e o despojado é algo que "pinta-se" em hypehoje em dia. 

Barbas por fazer, ou modelos mais arrojados: o negócio é usar o que você tem, pra melhor. Eu super compro a ideia, ODEIO fazer a barba. Prefiro usá-la ao meu favor. (666)

Conta-se que o movimento foi startado pelo tuiteiro @userporra, ano passado, e que esse ano "a causa" foi adotada pelo site Nada Errado, e que também tem até um Tumblr. para este "dia cabeludo". Noto nesse momento, em minhas redes sociais, é uma verdadeira avalanche de barbudos! kkkkkkk...

Bom, para quem gosta ou não, aqui fica minha contribuição! 
E mais do que isso, minha reivindicação: NÃO FAÇA A BARBA, FAÇA AMOR

kkkkkk... 
Beijos!
 

O Amor é Soberbo.

Olá, Gentes!

É, eu sei. Sumido, né? Mas estou voltando, aos poucos.
Tenho planos para o Tabloide Infame. É sério! ¬ ¬'


Bom, passei horas editando um vídeo de 1:46 para postar aqui! kkkk... Mentira, na verdade eu o fiz porque procurei no youtube por um material sobre esta Declamação (linda) que existe no álbum Zumanity, um dos espetáculos do Cirque du Soleil. Entretanto, não existia nada relacionado. Então, agora tem.

É uma declamação maravilhosa, da qual concordo 100%, sobre o amor. O nome da faixa original é Meditation, mas eu pus um novo título para essa edição amadora do material: O Amor é Soberbo.




------------ x ------------

O amor é belo,
Feroz e forte.
Insaciável, o fogo que tudo consome.
Um leão andando nas brasas vermelhas e quentes do desejo.
Amor é a sede que nunca sacia.
Uma chama sagrada que não pode ser apagada
Pelas chuvas congelantes da sobriedade.
Ou uma sociedade sufocada por noções de decoro.

Então, que tipo de amor é esse?
Este amor que não ousa falar seu nome?
Este amor que pendura sua cabeça na vergonha?
É este o assim chamado "amor", que sequer é digno de seu nome?

Amor verdadeiro não mente,
Não esconde,
E nunca será negado
O direito de cantar sua furiosa canção na tristeza das ruas vazias,
Do crepúsculo ao alvorecer.
O amor ri ao medo
E grita o seu nome para todos ouvirem.

O amor é belo,
Feroz e sonoro.
Mas além de tudo,
O amor é soberbo.


Tradução e Edição: Adriano Mariano.
Música: Meditation (Zumanity, Cirque du Soleil)
Cenas*: Liv Tyler (Arwen) e Viggo Mortensen (Aragorn).

*Imagens retiradas da obra The Lord of the Rings I e III


------------ x ------------


É, meus amigos. O Amor é Soberbo, acima de tudo. O sentimento que se inflama, e que olha para tudo com uma vista "de cima". Tem aquela força de passar por cima de tudo, e muitas vezes "de todos". Soberbo. 

Belo e Soberbo. 
 

Histórias contadas por Janelas.



Sonhei. Sonhei como fazia tempo que não. E o que eu lembro, bom, o que eu lembro ainda faz sentir-me triste, vazio. Mas gosto de lembrar, pois é daquele tipo de sonho que vem como se quisesse te mostrar uma verdade, te enviar uma mensagem, ou te avisar. Ou pelo menos te fazer ver a beleza em uma triste história sendo contada.

Já era tarde, disso eu lembro. Estávamos em um carro, vidros fechados, carícias. Dirigia, e parecia que sabia para onde estávamos indo. Mas eu não estava preocupado quanto ao destino daquele passeio. Eu estava acompanhado, e confiava. Chegamos, e era escuro, entre as árvores, e ainda estávamos rindo porque sabíamos que era um local propício para aproveitarmos uma liberdade que não se poderia ter por aí, onde quiséssemos, como se pudéssemos.

Haviam outros carros, muitos, como se todos precisassem de um momento à sós. Estacionou, e para minha admiração, desceu do carro. Andou por um instante, e voltou, e a conversa havia mudado de tom. Não sei por que. Como se um casal precisasse de motivos para brigar nas horas mais inconvenientes. Discutimos, e depois arrancou com o carro. Dirigia, e discutíamos. O que eu estava fazendo ali, naquele lugar que eu nem sabia onde ficava, com aquela pessoa que não se tocava que o que eu queria mesmo, naquela hora, não era conversar? Muitas vezes as palavras não cabiam em uma conversa.

No fervor do desentendimento, parou e eu saí do carro. Perguntou se eu não iria voltar, como quem realmente só perguntava por educação, resquício de responsabilidade, sei lá. Eu fechei a porta em resposta, e saí pelo lugar. Daí, partiu, e eu estava em um lugar que realmente não conhecia; não tinha telefone celular, nem dinheiro, nem cartões de crédito, em um lugar que parecia um vilarejo. Muitas pessoas entre as ruelas simples. Parecia uma feira, com tendas. Paredes de barro e madeira. Eu estava imundo, e por uma noite fiquei assim, na rua, pensando como alguém que dizia gostar de mim deixou-me à sorte em um momento tão delicado.

O dia, que amanheceu, me fez forte. Não sei quantos dias já se tinham passado, mas eu já havia estabelecido contato com a família, e agora tinha um teto, algo como uma pousada ou república, e ao sair para caminhar pela manhã, na rua de feira, observei na primeira janela de uma vila baixa um jovem casal que se amava, em ato, e o quanto suas verdades, naquele momento, eram simples e mudas. Natural, sem expectativas além daquelas pelas quais o corpo mesmo responde. Sem parar de caminhar, observei na próxima janela o mesmo casal...

Ele, de camiseta, lendo na sala, e ela na cozinha, com uma camisa que deveria ser dele pelo tamanho. Eles riam um do outro. Na janela seguinte, enquanto eu passava, vi o mesmo casal, mais maduros, em uma varanda, com cabelos mais comportados e roupas mais ajustadas, lendo, os dois, livros. E, numa outra cena, da janela seguinte, na sala, aproveitavam o tempo livro frente à TV, juntos, de roupões, com as marcas de uma idade experiente. O tempo parecia ter parado pra mim, quando percebi, na ultima janela, a última cena: o mesmo casal, naquela mesma cama, juntos, nus, abraçados, mas agora idosos e... Mortos.

Nesta hora, eu lembro, eu estava chorando com o fim da história. Eu conseguia sentir a verdade daquelas pessoas, frente a uma vida juntos, com um fim de um ciclo natural. Natural. Natural como as lágrimas que caiam enquanto o tempo havia parado pra mim, e enquanto eu assistia uma história sendo contada por janelas. No escuro, ouvi-me gemendo e chorando, como num encontro com meus maiores medos. Uma sensação de culpa misturava-se com outra de quem acabara de ser estuprado, sentindo-me usado, um lixo, jogado fora. Como se tivera perdido meu tempo diante de tantas outras discussões, carros, noites nas ruas, por causa de outros... caras.

... e a cidade voltava de um efeito embaçado, eu em pedaços, e vivo. Eu estava vivo, ou era só um sonho? Quando acordei, eu estava vivo. Vivo e chorando.

Nota do Autor: Sonho que tive na madrugada do dia 24/25 de Março de 2012, e que só pus em papel no dia 27. Acho que se perderam, alguns detalhes, quando o sentimento já tinha esfriado. Mas este foi um sonho bem distinto, triste e bonito, como começo a dizer lá em cima. Mas é isso aí.
 

Rolling in the deep - Versão Habbo


Adele, versão Habbo.

Sabem aqueles joguinhos insuportáveis dos quais seus amigos do Facebook ficam te enviando convites intermináveis para que você faça parte? Que não influenciam em nada na sua rotina, e sequer têm uma qualidade gráfica digna de atenção, e mesmo assim pessoas desocupadas se deixam possuir por tais besteiróis? Pois é... esqueci do que eu ia falar. (...)

Ah, lembrei. Então. Habbo é um jogo desses. Sim, já joguei. Sim, por algumas horas. Sim, eu estava sem nada pra fazer no trabalho e precisava ver o que diabos era aquilo que todos estavam comentando. No Música de Quinta de hoje, quero mostrar pra vocês a melhor referência que já tive desses malditos: a versão Habbo (Rabo? Rabô? Whatever!) de Rolling in the Deep, de Adele! kkkkkk... gente, eu ri. Ficou muito idiota. Muito bom.




Atenção para o pezinho em 1:56. kkkkkk... Seus infames!
Até a próxima!
 

Uma canção sobre o Amor.


@_@
Ah, o amor...
Este é o tema de mais uma estréia nesta semana! =)

Música de Quinta será o quadro onde mostrarei coisinhas musicais-infames para vocês, meus queridos, em algumas dessas quintas-feiras modorrentas. Música-de-Quinta, Quinta-Feira, tendeu? Enfim. E não serão todas as quintas, ok? Quando der. Parece justo pra mim.

Pois bem, sobre a música! Essa música é fantástica, e essa moça também. Ela já fez alguns curtas metragens bacanas, estuda cinema na PUC-Rio, fez rápido sucesso no youtube, onde tem um canal (acesse clicando aqui. rsrs... brincadeirinha, é aqui!), e logo foi convidada para fazer alguns papéis na Globo. O vídeo que quero mostrar hoje foi um material que eu já havia visto há alguns meses atrás, desta garota, e relembrei dele semana passada quando um colega postou em seu facebook. É hilário. É infame mesmo. Sem mais lero-lero, dê uma conferida e diga-me o que achou:





Quem:
Atriz, Cantora e Roteirista Brasileira,
 

Star Wars - Comentado.


Olá, Infames. 
Hoje quero dar início a mais um quadro daqueles super gostosos de se ler. Sim, são sim!  ¬¬



(...) Well... Well... Ok. Comentados. Filmes comentados sob o ponto de vista singular de personalidades infames, desconhecidas, sem noção, ou tudo isso junto - o que é melhor! Porque estes são os pontos de vistas que não lemos por aí. São críticas que nos dão parâmetros, talvez, que nunca seriam alcançados por vias mundanas - até porque alguns são tão idiotas em seu contexto que, sozinhos, não conseguiríamos chegar a este viés. 

Comecemos, então, pelo vídeo que acabei revendo há alguns dias em meu Facebook. Em 2008, uma criança de 3 anos contou tudo que precisávamos saber sobre Star Wars. Sim. E eu amei. E eu concordei. E eu adotaria essa Fofura Infame, e a chamaria de Leia Mariano, e daria a chefia desse quadro a ela. Crítica como ela é, daria uma ótima contribuinte. Vejam o legendado:




Transcrevendo:
Comé que é, branquela?
"Well. Well. Okay. The sand people capture robots and drive, and sell 'em in a garage sale - kinda like a garage sale but except they're selling robots. And no one's gonna buy R2 and the shiny guy - the shiny guy always worries - Luke's gonna buy those. And Obi Kenobi's a kinda teacher. He's teaching Luke how to learn how do to his little light-up-sword. He has to try to block the little pokie ball. He tried to do it without seeing. Obi Kenobi sometimes move things around, sometimes he disappears. Princess Leia got out a jail and out in the spaceship. And they got the big thing that blown up stuff, we blown it up together. It blown up Princess Leia's planet. But don't talk back to Darth Vader - he'll get ya. It's an exciting movie."

Destaque para a passagem the shiny guy always worries e a afirmação com cara de desprezo
Essa menina é um gênio, e eu quero ter uma filha assim. #ProntoFalei.

Aguardem os próximos posts deste quadro, tentarei colaboradores tão bons quanto!
Beijos, Cheiros e Queijos.
 

Feliz Páscoa.





Um material veiculado pelo Programa Avesso,
através de e-mail marketing temático para a Páscoa.

Aproveito para estender a todos meu desejo de que
valorizemos mais a essência desta celebração!  :D

Forte abraço, Gentes!
 

Frase do Dia.



 

Sombras da Noite.



Pois bem, personas, a nova obra cinematográfica do meste Tim Burton (de "Alice no País das Maravilhas", saca, né? ¬¬) explora o mundo vampiresco com uma pitada de bom humor e estética "de matar" (#TrocadilhoInfame). "Sombras da Noite" (Dark Shadows) será um filme baseado no seriado homônimo que rolou nos anos 60 e 70. Nem estreou, diga-se de passagem, e a nova abordagem tem sido recebida com algumas críticas de quem acompanhou o seriado e já se deparou com o toque satírico de Burton nos teasers desta adaptação. É que a obra original seguia um roteiro dramático, mas Tim Burton tinha que assinar com seu estilo podre (que adoro), né? Vejam o trailler:


Como vocês podem notar, o habitual colaborador de Tim, Depp (Johnny Depp, "Inimigos Públicos", cara!), ilustrará Barnabas Collins, um playboy que é amaldiçoado e transformado em vampiro por uma bruxa e permanece anos adormecido. Quando acorda, 200 anos depois, se choca com uma realidade totalmente nova, deparando-se, inclusive, com remanescentes de sua estranha família em um enredo que não poupa elementos fantásticos, como fantasmas e bruxas, além de vampiros e... McDonald's.

Esta é nada mais menos que a oitava parceria de Burton e Depp, e acho-os perfeitos juntos. Além deste, o elenco é formado por Eva Green (“007 – Cassino Royale“), Jackie Earle Haley (“A Hora do Pesadelo”), Bella Heathcote (da série “Neighbours”), Michelle Pfeiffer (!!!) (“Chéri”), Chloë Moretz (“A Invenção de Hugo Cabret“), Thomas McDonell (“O Reino Proibido”), Helena Bonham Carter, claro, (“O Discurso do Rei”) e Jonny Lee Miller (“Caçadores de Mentes”). O roteiro é de Dan Curtis (“A Mansão Macabra”) e Seth Grahame-Shith (da série “The Hard Times of RJ Berger”).

A estréia está prevista para 11 de maio, nos EUA. Já aqui, nesta toca de índio que vivemos, precisaremos esperar até 22 de junho para vê-los nas telonas.
 

Batman Desmascarado, parte 1.


Antes de qualquer coisa, ative a trilha sonora para este post clicando aqui. Ok, pode ler agora.

Ele se tornou a inspiração de milhões de pessoas, um exemplo a ser seguido, a prova de que a superação humana transcende quaisquer dificuldades. De uma criança de sete anos que presencia a morte de seus pais, ele emergiu como uma lenda. Batman, the fuck yeah. É dele que quero falar neste post.

Batman, o Cavaleiro das Trevas.

Batman é, talvez, a historinha de super-herói mais rica em termos de complexidade em sua trama, de profundidade de seus personagens. Nele, no próprio protagonista, encontramos heroísmo, medo, escuridão da alma, e uma luta intensa entre a moral e a linha tênue onde ela se coloca à prova de todos nós, humanos, em todos os nossos dias. E explorar este personagem tão complexo quanto contraditório poder ser uma experiência fascinante, meus caros.

Criado por Bob Kane, estreou em "Detective Comics" (DC, uma das mais sólidas e conhecidas empresas especializadas em quadrinhos dos EUA) em 1939, em sua 27º edição. Era uma década de depressão, rápida expansão urbana e crimes extremamente violentos. Desde então se tornou um afago aos corações estremecidos mostrando-se como ícone de coragem, determinação, superação e esperança, até a linha amiguinho das crianças ele fazia em datas comemorativas. Mas no fim do século 20 é que ele começou a adotar traços mais marcantes, mais sombrios, orgânicos, humanos, com outros autores/diretores adicionando camadas com motivações psicológicas ao homem morcego. E é justamente por este viés que quero levá-los nestas linhas: seus personagens do ponto de vista psicológico, a respeito de suas motivações e essências. Desvendando a psique de Bruce Wayne e seus vilões. Vambora?

Primeiro questionamento: O que faz um bilionário vestir uma fantasia tão colada para defender a cidade da criminalidade?

O Medo pode ser considerado uma das razões pelas quais Bruce Wayne, o bilionário playboy, se torna Batman. Duas cenas são cruciais para entendermos esta questão: no filme Batman Begins, quando Bruce, criança, adquire um medo paralisante de morcegos após cair em um poço desativado, e a cena onde ele está com os pais em um Teatro, e quase entra em pânico quando relembra dos morcegos devido a encenação da peça. Nesta, ele pede para  irem embora naquele momento, fazendo seus pais saírem antes do termino da apresentação, quando são mortos depois de um assalto. Bruce sentiu-se culpado porque o medo dele fez com que saíssem por aquele beco escuro, e isso causou o encontro com a morte dos Pais. Esta é uma parte importante na mitologia de Batman, que revive esta cena e a incorpora em diversas etapas da história do herói, por anos. 

Cena da morte dos pais de Bruce, em Batman Begins.

Assim, aprende da pior forma que a segurança é algo frágil e temporária, e absorve os questionamentos sobre em quem confiar, e sobre reviver esta dor ao perder, novamente, alguém que ama. "Então é melhor fazer a segurança pelas próprias mãos". Aqui definimos outro pilar da saga de Batman: o poder e as consequências de suas escolhas: A cena em que, crescido, vai ao julgamento do assassino de seus pais com uma arma no bolso e tem que decidir se vai usá-la para vingar-se, ou não. E não usa. Este é o momento de definição do personagem, porque quando uma pessoa passa por uma situação traumática, passa a se questionar sobre suas crenças básicas, e foi nesse momento que ele usa seu drama para algo positivo e amadurecedor; decidiu fazer justiça ao invés de vingar-se diretamente daquele que o causou a dor, protegendo indefesos de atos de criminosos.

"Mas porque diabos ele se veste de homem-morcego e sai lhôco desvairado na rua caçando criminosos, e não age diretamente na política e polícia local para revitalizar aquela cidade, como vinha fazendo seu pai ryco?" você deve ter se perguntado algum dia. A resposta é: Bruce assume a figura do morcego como imagem do seu alter-ego porque PRECISA se tornar algo maior do que um simples acionista, doador, ativista social e político para conseguir o que quer, do jeito que quer.


 "Procuro o meio de fazer justiça. De me tornar o medo contra aqueles que dão medo às pessoas." - Bruce Wayne (Christian Bale) em Batman Begins.


Neste momento submete-se a exposição ao seu medo (cena em que volta à caverna onde caiu quando criança e enfrenta os mamíferos voadores), controla-o e o leva ao encontro dos seus inimigos. Mas, ao passar dos anos, outro questionamento surge crítico, inclusive, para o próprio Bruce. "Qual o meu verdadeiro eu?"

Já o motivo da roupa colada, não sei.




Segundo questionamento: Qual é a verdadeira personalidade - Bruce ou Batman?

Questionamento épico! Ainda hoje psicólogos do mundo inteiro divergem sobre isto, e as mais interessantes questões são levantadas nas argumentações. O playboy que se divide entre sua vida diurna de filantropo e empresário, e sua patrulha por justiça a noite como um vigilante que atua, inclusive muitas vezes, fora-da-lei. 



Para esta análise, eu gostaria de relembrar o psiquiatra suíço Carl Jung, que acreditava que em todos nós acontece uma eterna luta entre o nosso eu "sociável" e, como difundiu em teoria, nosso "Lado Sombrio". Batman é a personificação do lado sombrio de Bruce, porque ele se parece com o mal que combate, um vilão, e age fora da sociedade e do senso comum, absorveu a iconografia do morcego (asas, negro, sombrio, notívago, até chifres adicionou a esta iconografia do mal) e, apesar disso, é um homem virtuoso em seus propósitos. O mal é parte inerente de todos nós, e Batman põe isso em sua face.

Chegou a hora dos meus inimigos compartilharem do meu medo. - Mais uma de Bruce Wayne Fuck Yeah.



Na época dos Nazistas, homossexuais foram marcados com um símbolo que depois virou um ícone de luta para às causas GLS, e como este caso existem vários outros na história da humanidade onde as pessoas se utilizaram de uma iconografia ruim, e o transformaram em uma insígnia de força, de vitória. A Cruz de cristo te diz alguma coisa? Pois é.

Muitos acham que Batman é a verdadeira face, e Bruce Wayne seja só uma máscara. Outros acham que Batman é uma exteriorização do alter-ego de Bruce que, quando imaturo, escolheu fazer as coisas desta forma e levantando que é Bruce quem alimenta a humanidade e todo o código de honra do Cavaleiro das Trevas. E eu sou desses. Acredito que, sim, Bruce seja a verdadeira pessoa, mas é Batman a verdadeira face. É por ele que Bruce se faz valer em vida. Afinal, partindo por esta suposição, acabo me lembrando de todas as outras facetas que desempenhamos em nosso dia-a-dia: 

Tem o Adriano Profissional de Marketing, o Adriano filho caçula, o Adriano boy irresistível, o Adriano amigo de todos e tem o Adriano que combate o mal nas ruas à noite...






Mas é claro que existem outras formas de tratar a dor da perda, e trabalhar a raiva, como a psicoterapia. E se Bruce fizesse psicoterapia, gente? Bom, talvez ele tivesse encontrado a "cura" para o Batman, e a DC perderia milhões em quadrinhos, mas isso é outra discussão.


Comportamento: Batman e suas leis.

Ele é um fora-da-lei. Diz quem e como devem ser punidos, e este é um comportamento perigoso se pensarmos em replicar isso na sociedade; o pensamento de um pode não condizer com a opinião das massas. Mas dentro do cenário de Gotham City (não muito diferente do nosso, diga-se de passagem) ele não conseguiria agir com tanta rapidez, devido a corrupção das vias legais.

Não é um executor, não mata. Tenta dominar os impulsos à violência, vingança, instintos primitivos - lado sombrio. Uma característica forte no personagem é seu autocontrole e disciplina, que chegam a ser quase um super poder.

A verdade é que ele NÃO CONSEGUE deixar de ser o Batman. É mais fácil deixar de ser o Bruce, sair de uma reunião ao fim da noite para caçar criminosos. Alguns dizem que Bruce sofre de Complexo de Herói; compulsão em ajudar pessoas e fazer justiça, controlar e observar se a lei (ou sua lei) está sendo cumprida e que inocentes não estão sendo feridos. Essa obsessão leva a ele perder/cortar de sua vida qualquer coisa que não o ajude nesta missão (de ser Batman), incluindo relacionamentos amorosos. 

Bruce Wayne fronte à armadura de Batman.


Fraqueza: O amor como ponto fraco!

Se apaixonar pode ser perigoso. Isso nós também temos como certo, mas para ele é deixar alguém se envolver em apuros, é deixar a pessoa amada em constante perigo envolvendo-a na trama, além de significar correr o risco de reviver o sentimento da perda.


Finalizando, Batman é regido pelas consequências de seus atos, e tem em cada ação um cálculo para esta. Reconhece a linha tênue entre o que é justiça e injustiça, mesmo que isso entre em conflito sobre o que é importante para Bruce. Bom, sobre esta preocupação com as consequências e seu super autocontrole, talvez sejam estas que façam dele um herói, mas é também o que deixa bem próximo das facetas que vemos em sua galeria de vilões. 

Charada, Pinguim, Mulher-Gato, Espantalho, Duas Caras, Coringa, entre outros, são personagens tão complexos e profundos quanto o próprio Batman/Bruce Wayne. Para estes, não pensem que esqueci, vou reservar a segunda parte destas linhas turvas, quando falarei dos perfis psicológicos dos inimigos de Batman!

Why so Ansioso? Confira o próximo post!

Espero que tenham gostado!  =)
Nos encontramos na segunda parte!! Té +!
 

Abrir mão.

Olá, personas!

Hoje vim compartilhar com vocês um texto que me enviaram ontem. Marcela Marvel, minha nêga adorada, me enviou um escrito que me fez refletir, mais ainda, sobre o recuo estratégico que, às vezes, precisamos manobrar. Abrir mão foi, pra mim, uma dedicatória escrita para este momento em que vivo! Sim, personas, o papitto aqui tem cá seus momentos de decisões difíceis a serem tomadas, como vocês sabem, e como todo mundo as têm. 

Antes de mostrar o texto, deixe-me oferecer um adendo a esta criatura incrível que conheci: Marcela Marvel foi um achado do ano passado. Apresentada através de outro grande amigo, Pablo, ela formou o bando O QU4RTO (logo ouvirão falar! hehehehe...), e é a mestra suprema de nossas aventuras, literalmente. Encantadora, graciosa, super engraçada, e essencial para os planos que tenho daqui pra frente na vida, junto com as duas outras peças fodásticas do Qu4rto. Obrigado e Stand by Me, nêga!

Vamos deixar de falatório, 
se não me afogo em chorôrô, gentchy!


É a gana de lutar, é o brilho do suor, é respiração descompassada, são todas as qualidades que o corpo apresenta na batalha, que não facilitam iniciarmos um gesto que às vezes é mais do que necessário, o abrir mão.
Pode ser um medo alheio de que você encontre o fracasso ou o receio da mudança. Quem sabe, pode ser também, a sua própria insegurança que não te permita desfazer alguns laços. 
Abrir mão não é um ato nobre, não se deixa algo pra trás sem que se deseje algo novo. Somos demasiadamente egoístas para nos contentarmos com nós mesmos.
Não sei se isso que estou pra dizer é um conselho ou uma boa desculpa, mas lá vai assim mesmo: Sempre que você abre mão de algo, os tolos te chamarão de fraco já os sábios te chamarão de ousado.
Isso me faz lembrar de uma frase do Chico Xavier: “Para conseguir algo que nunca teve, terá que fazer algo que nunca fez”. Alguém tem coragem de arriscar assim?

Abrir Mão, 
por Marcela Marvel em Garota de Lata.
 

Nova Roupagem.


Eu voltei. Mais vil, mais exigente, mais cartesiano, mais monocromático, mais justificado do que nunca, mais prático e clean. Entretanto, meus textos manterão o mesmo sabor crítico-descritivo de sempre, meu humor tão afiado quanto, e minha roupagem, bem, tão digna como sempre: o pretinho básico é uma escolha infalível.

O layout que apresento nesta 'temporada' (sim, porque quem manda nessa birosca aqui sou eu e eu mudo quando eu quiser, ok?), foi o resultado de uma pesquisa sobre templates (principalmente aqueles gratuitos! kkkkk...#Cale-se) e uma ajustada com a ajuda do meu grande amigo Yanes Maciel, que deu um jeito no topo do blog. Então, se houverem defeitos, me procurem para que eu deduza dos honorários dele.

Acho digno vocês passearem pelo blog, que ainda tem a temática de veiculo impresso de comunicação (Tabloide, com capa, tiragem, cadernos... sacou agora?!), mas que apresenta novas informações:

Capa: É o novo "primeiro caderno" do layout antigo. Esse nome era grande demais para este novo layout!

Editorial: Faço-me valer com uma descrição sobre o que é o Blog, com alusão ao Tabloide como veiculo de comunicação com textos leves, e dando importância as imagens. Enfim, passa lá que explico mais.

Canais: Eu tenho vários canais, carajo! Tenho twitter, tenho tumblr, tenho "fárias" formas de comunicar-me com as personas digitais. Mas nenhuma delas é tão expressiva quanto o face, twitter e blog, mesmo assim ponho-as aqui como um complemento desse Editor que vos escreve.


Partindo pelo corpo do Blog, meus queridos leitores e amigos ociosos, temos um histórico dos 5 últimos posts que fiz. Sim, está super desatualizado. Sim, fazia tempo que não escrevia nada. Sim, ainda trabalho, não tem nada a ver com ter mais tempo! Não, gente, não é do meu feitio tirar a roooupa, mas estou estudando propostas. Bom, Editor, eu. Cadernos são as seções onde organizo meus posts, ainda com uma referência ao impresso, e tal. Os mais populares, ah, é didático, e esses fofos em Assinantes são os manolos que me leem e apoiam essa loucura que faço por aqui. Clube Infame é onde veiculo os selinhos infames de algumas empresas/grupos comparsas, e Tiragem é uma contagem que faço desde 2009. Acho lindo esse número. kkkkk...

Abaixo seguimos com o Arquivo, onde se pode pesquisar sobre meus posts antigos em ordem cronológica, Navegue é um resumão dos principais links do Blog, Fala, Infame é onde mostro o ultimo comentário que me deixaram e Nota do Editor que nada mais é do que o ultimo tweet que fiz no meu twitter.

Para comentar, gente, é super fácil. Clica na postagemcaralho que você se interessou, ler a postagemcaralho e depois vai lá embaixo, em um grande quadrado branco, deixa seu recado e clica gostosamente em "publicar". Admiro-me algumas pessoas não saberem fazer isso, quer dizer, estamos na era digital, né gente... #TemQueVerIssoAí.

No mais, é isso. Espero que gostem. Caso contrário, bom, vai continuar esse mesmo. :)
Forte abraço a todos! Besos!