Imagemedo

Por vezes escuto de pessoas
Como se avaliassem o certo e o errado da vida:
“O que nos diferencia dos animais são nossas escolhas”.
O que nos diferencia dos animais, na verdade, são nossas sinas.

Os animais escolhem seus pares pelo feromônio,
Os homens pela carnificina.



Pode haver óleo de rosas dentro de um frasco velho e opaco,
Como pode haver um cadáver putrefato dentro daquela menina.

O que me faz pensar sobre como as coisas funcionam
É o mesmo que, de repente, me deixa estagnado ao comparar-me com aquela garotinha.




Dentro de cada homem há um medo feroz de não ser o ideal, o escolhido.
Dentro de todos nós há a máscara que nos contagia.

Ela se mostra firme, forte, brilha como uma armadura.
É feito um veneno, conveniente como uma vadia.


O medo que dá é de sucumbir a isso.
Dá medo de virar a cabeça, tropeçar.

Porque o que interessa não é a essência,
O que interessa é e sempre foi o que nos diferencia.

Por vezes escuto de pessoas
“O que nos diferencia dos animais são nossas escolhas”.
O que nos diferencia dos animais, na verdade, são nossas sinas.



Nota do Autor: A ilustração inserida neste post foi feita pelo meu amigo Dex. Cique AQUI para ver maiores informações sobre esse cara que tem o dom de dar formas às almas das coisas.
 

Sem mais Nada

ontem eu te vi.
nenhuma força ou encanto me fez ter medo.
nenhuma forca ou lembrança me fez receio.
você é mortal. foi desejo?

como velhos desconhecidos,
você me viu, mas não me olhou.
quando eu te olhei não te vi mais.
as algemas já não existem,
e nós já não parecemos imortais.

sensação de liberdade sem amor.
sensação de saudade sem ardor.
falta do que eu não sei,
mas não é de você.

talvez seja de mim,
talvez seja de nós.
mas não é de você.
não é mais de você.

é uma indiferença sem maldade,
sem tristeza,
sem rancor.